2 de abril de 2010

Saudade doída.



                              SAUDADE DOÍDA

 Esta saudade é tanta, que me faz doer
Ela esmaga minha alma, se concentra na minha dor
Me transforma numa realidade impiedosa
Que atinge meu corpo e  me sufoca o peito
A dor desta saudade é tão grande
Que não tendo como se expandir, transforma-se em lágrimas
Lágrimas de saudades, sofrimento, compaixão
Lágrimas de esperança que não morre, adormece
Saudade que dói, saudade que me faz doer
Saudades das palavras digitadas pelas tuas mãos
Das doçuras de teus afagos e encantos
Do aconchego dos teus braços e dos lábios que beijei
Dos teus olhos me fitando...  eu dentro deles a te fitar
Saudade, esmagadora saudade
Me estraçalha , me esmaga e me maltrata
Os  ventos dizem que a saudade geme e sente
Eu quero poder dizer que saudade encanta.
Porque saudade alimenta,
sem a saudade não há alento.

Um comentário:

* Júuh. disse...

Saudades: presença dos ausentes.
- Olavo Bilac -

Um ótimo fim de semana flor!
beijinhos