1 de julho de 2010

Vida depois da morte.

      No livro: Nós e Mundo Espiritual, explica se existe vida após a morte.
      Eu, como espírita, logicamente que acredito. E minha linha de pensamento vai pela mesma linha descrita no livro.
      Deixarei abaixo a explicação encontrada nele.
      Não venho pregar religião, apenas explicar fatos existentes que, vira e mexe, me pedem explicação sobre isso e não consigo explicar de forma convincente. Não que eu queira convencer de que minha religião é certa, apesar d'eu saber que ela é, rsssssssss, mas sim conseguir transmitir meu conhecimento sobre tal com mais clareza.


-----------------------------------------------------------------------------------

Vida depois da morte

      Existe vida depois da morte?
     As pesquisas científicas indicam que sim, e as religiões também afirmam que, de alguma forma, a vida continua depois desta vida, nem que seja em estado latente (estar em "repouso"), aguardando a ressuireição dos mortos.
      Só que aí surge uma questão da mais alta importância: se todos havemos de morrer um dia, como estaremos nesse além vida? será que vamos ficar armazenados em algum galpão celestial, aguardando o juízo final? Ou quem sabe, prostrados diante do trono divino, em adoração, pela eternidade afora? Ou talvez sentados à beira de uma nuvem tocando harpas?
      Será que uma natureza dinâmica como é a do ser humano iria suportar um estado de inatividade, inócuo e vazio, por toda a eternidade?
      São os próprios espíritos que têm dado as mais completas explicações sobre esse outro lado da vida. Essas informações têm chegado através da psicografia de inúmeros médiuns, nos mais diferentes pontos da Terra e nas mais diversas épocas, através de mensagens a parentes e amigos, contando como foi a sua passagem para o mundo espiritual e como é esse mundo.
      E o mais importante é que essas informações coincidem: o que os espíritos falam aqui no Brasil através de médiuns, é confirmado pelo que eles dizem na Europa através de aparelhos eletrônicos.
      O portador das mais amplas e detalhadas notícias sobre o mundo espiritual e a vida, e atividades dos espíritos, é André Luiz, através de 11 livros que foram escritos através da psicografia de Francisco Cândido Xavier (Chico Xavier).
     André Luiz nos mostra esse outro lado da vida muito parecido com o lado de cá. Há muitas semelhanças. Ninguém fica vagando no espaço como alma penada, nem tocando harpa na beira da nuvem. O mundo espiritual, para os espíritos, é tão real e dinâmico quanto o nosso mundo físico é para nós.
     É por isso que muito espíritos não sabem, ou não conseguem acreditar que já morreram. São daqueles que pensam que ao morrer irão para o céu ou o purgatório, ou então, que a morte irá apagá-los de vez. Mas, ao invés disso, encontram-se quase como antes. Muitos voltam para o lar, para os ambientes do trabalho ou do lazer. Veem as pessoas, falam com elas, mas as pessoas não lhe dão a menor atenção. Alguns pensam que ficaram loucos, ou que estão vivendo um pesadelo interminável. Muitos assistem ao próprio velório e sepultamento mas não aceitam a idéia de que aqueles funerais sejam os seus.
     Uma das atividades dos centros espíritas é o esclarecimento a esses irmãos, chamados de espíritos sofredores. Eles incorporam-se ao médium e o doutrinador conversa com eles explicando-lhes a realidade. O grupo todo envolve o irmão sofredor em vibrações (pensamentos/energias) de paz e amor. É quando ele se alivia e consegue melhorar a própria frequência vibratória.
     Essa elevação vibratória é necessária para que ele possa ser socorrido e levado para tratamento em local adequado.
     Mas há também aqueles que retornam ao mundo espiritual plenamente conscientes do que está ocorrendo.
      Quando alguém desencarna (morre) é muito importante que receba vibrações (pensamentos/energia) de paz, em vez das manifestações de desespero que normalmente acontecem.
      Muitos espíritos têm relatado através da mediunidade, seus dramas, seus sofrimentos e aflições por causa do desespero e desequilíbrio dos parentes e amigos, após seus desenlaces. Eles dizem que as lágrimas (eternas) dos entes queridos que ficam na Terra, suas vibrações angustiadas, chegam a eles com muita intensidade, provocando aflições sem conta e retardo no seu processo de cura.
      Por isso, diante da morte a atitude dos presentes deve ser de respeito, serenidade, aceitação, equilíbrio e, acima de tudo, prece. O recém-desencarnado necessita de muita oração.

4 comentários:

Paulo Tamburro disse...

A.M.A

agardeço a generosidade da sua atenção ao meu blog, e creia o quanto fiquei honrado em saber que se colocou como minha seguidora.

Por explícitas e incontestáveis razões de natureza espiritual e de fé - não aquela que nos enfiam guela adentro, mas a criticada e raciocinada - serei também seu seguidor.

Muita luz, saúde, felicidade e espero podermos ter diálogos mais frequentes.

Um abraço fraterno.

A.M.A. disse...

Obrigada pela atenção dada aos meus textos, eme special a este de hoje que fala sobre espiritismo.
Grande abraço!

Tel Monteiro disse...

Tb tenho minha opinião formada sobre a vida pós morte.

Partindo do ponto de que não é possível que vivamos tanto nesse plano para acabar debaixo da Terra e assim terminar de vez.

Acredito sim, na vida edificada na Terra, na vida pós morte e reencarnação.

É simples. É quase que física.

Só que para determinadas pessoas isso é dif´picil, pois existem coisas que são como o amor. Não basta acreditar, ver e ler.

Tem que sentir.

OBS: isso virou post para o É tudo novo de novo!

bjs

AMO VOCÊ

Sueli disse...

Olá, cheguei aqui através do blog do Paulo e gostei muito de tudo que vi. Sou espiritualista e acredito na vida após a morte. Não porque alguém me disse, mas porque não encontro outra explicação para muitos fatos desta vida. Adorei seu blog! Um abraço!